skip to Main Content

Regressão de Memória

Quando recebo alguém no meu consultório à procura de Terapia de Regressão,  normalmente essa pessoa já tentou outras técnicas terapêuticas e que não foram bem sucedidas.
Costumo dizer nas minhas palestras que quando algo parece inexplicável, a regressão é sempre uma boa saída.
Imagine que alguém tem fobia a andar de avião sem nenhuma razão aparente, nem o próprio, nem ninguém no seu círculo de relacionamento sofreu qualquer acidente. Assim, conscientemente, esse medo não tem uma explicação racional.
Contudo, ao recorrer à terapia de regressão e ao voltar à origem do seu medo, provavelmente vai-se confrontar com imagens mentais onde, numa vida passada, ele ou um ente querido tenha estado envolvido num acidente aéreo.
Esse exemplo faz-me lembrar o caso de um engenheiro de 38 anos que me procurou com a queixa de fortes enxaquecas e pressão na cabeça, já tinha realizado vários exames, tentado várias terapias e diversos especialistas, porém sem êxito.
Quando fizemos a regressão, ele viu-se num acidente aéreo, preso sob as ferragens do avião e com um peso sobre a cabeça. Ressignificámos essa memória e, após uma semana, ele não apresentava nenhum sintoma de dores de cabeça. Além disso, relatou que era muito comum sentir-se culpado por tudo e por todos. Após esta sessão, a culpa tinha desaparecido porque, ao fazer a regressão a vidas passadas, ele viu que no referido acidente aéreo, era o piloto e, por esse motivo, ele sentia-se responsável e culpado.
Assim como ele, muitas pessoas encontram respostas em cenas que descrevem como vivencias de uma vida passada.
A regressão é uma técnica completamente segura quando feita por bons profissionais, porque a forma como chegamos a essas memórias é através de uma hipnose leve, onde a pessoa está totalmente consciente, porém, com a sua atenção focada, num nível que chamamos “alpha”.
Passamos diariamente por esse estado, antes de adormecermos ou ao acordarmos, nesse momento temos acesso a todas as nossas memórias, mesmo aquelas que acreditamos não nos lembrar. Todas as pessoas passam diariamente por vários momentos de hipnose, quando estamos a conduzir de maneira automática ou ao ver um filme cujas sensações são tão reais como se da nossa própria história se tratasse. A este estado chamamos de regressão espontânea, pois aquela cena do filme funciona como um gatilho que aciona as nossas memórias, boas ou más.
A regressão espontânea pode ocorrer com frequência, mas sem fins terapêuticos. A terapia de regressão pode trabalhar questões de ordem física ou emocional.
Para solucionar questões como traumas, medos e pânicos, por exemplo, normalmente são necessárias quatro sessões, pode variar de acordo com a facilidade do cliente em relaxar e se concentrar.
Ainda é importante salientar que a regressão não precisa de ser relacionada com vidas passadas, porque, a maior parte das vezes, o problema encontra-se na infância ou até mesmo na vida intrauterina. Portanto, nós conscientemente podemos não saber onde está a origem do nosso problema e como solucioná-lo, mas o nosso subconsciente sabe, e a regressão é ponte para isso.

Texto de Denise De Santi
Psicanalista – Terapeuta de Regressão de Memória – Consteladora Familiar e Gemelar

Relacionado com que edição da F.A.
Relacionado com que área
Back To Top