skip to Main Content
k

Krystal Chandra

Krystal Chandra é Professora, Coreografa e bailarina de Dança Oriental Egípcia         (Dança do Ventre). Instrutora de Yoga & Meditação e Fundadora, coordenadora e dinamizadora do Espaço 3ª Essência –  Essência d’Oriente, situado em Valongo (Porto) onde desempenha as funções:
– Instrutora de Yoga para Adultos, Crianças e Seniores;
– Professora e coreografa de Dança Oriental (Dança do Ventre)- miinistra aulas para crianças, jovens e adultas;
– Coordenadora e dinamizadora dos grupos de Dança: as Ninfas d’Crystal (grupo infantil/juvenil) e Oráculo das Deusas (adultas).
– Terapeuta de Ayurveda e Reiki
Professora e pesquisadora de Dança Oriental, Krystal Chandradevii, através da sua dança tenta enfatizar a renovação estética e conceitual desta dança milenar em forma de arte. O seu trabalho volta-se para o despertar da consciência corporal, emocional e espiritual, bem como reestruturação e consciência postural. Um trabalho que eleva a mulher como ser único e divino, resgatando a sua integridade e essência feminina.
A história da Essência d’Oriente e a de Krystal Chandradevii mistura-se nos diversos eventos e shows em que têm participado, nomeadamente a convite de várias entidades estatais, públicas de outras.
Para além disso, Krystal Chandradevii tem criado e participado em eventos, feiras medievais e encontros culturais e de dança.

 

Sala Viver
Sexta Feira 27 de Outubro18h

Workshop
O Outro lado do Véu | Dança do Ventre

O Outro lado do Véu: Criatividade, emoção, poesia em movimento
Repleto de simbolismo e carisma, o véu é considerado um elemento cénico da dança do ventre que agrega mistério e encanto, capaz de despertar a criatividade feminina, aflorar a sensibilidade e a intuição, numa fusão de movimentos que unem a alma, o corpo, a emoção.
Em árabe é chamado de Hijab, que significa algo que separa dois elementos, que encobre ou que protege. O Hijab resguarda a alma da mulher que dança, para apenas revelar o que seja permissível de ser vislumbrado pelos olhos mundanos. Levando para o lado místico, o véu representa o conhecimento oculto ou relevado e esta mudança de significado depende se ele está a ser utilizado ou retirado durante a dança. Diz a lenda que o véu é o “guardião da alma da bailarina”.
Símbolo de Mistério que envolve a bailarina quando dança, é um misto entre a mulher e a deusa, ser humano e serpente, representado pela força criativa feminina.
Conteúdo Programático:
O Véu como extensão do nosso próprio Corpo, a nossa segunda pele, a nossa aura;
A sua Simbologia na Dança Oriental e a sua ligação ao elemento Ar;
As cores do Véu e a sua influência energética;
Consciência Corporal ao nível da postura, da leveza e da expressão;
Iniciação á técnica com ensinamento de movimentos básicos com o Véu;
Pequena sequência coreográfica

Back To Top
Search