skip to Main Content
Ana S. Miramon

Ana S. Miramon
Tenho 36 anos e nasci no coração de Lisboa em Portugal.
Desde a infância que o exercício físico foi parte integrante do meu bem-estar.
Talvez por isso a busca de uma área profissional que unisse o Exercício, a Saúde e o Bem-Estar acabasse por ser a minha escolha.
Em 2003 acabei a minha licenciatura em Fisiologia do Exercício e Saúde e complementei com a Pós-graduação em Reabilitação Cardíaca e Exercício Físico.
Logo no ano seguinte, tomei contacto com o Método de Pilates e desde então tenho dedicado parte do meu dia a este método, que me possibilita ajudar outras pessoas a melhorarem a sua qualidade de vida e a minha também.
Há cerca de 4 meses criei o meu próprio local de trabalho o “Espaço Bio-Natural” em Lindaa-velha, que agrega diferentes terapias e suplementação natural.
Formação Académica e Profissional:
Fisiologista do Exercício – Instituto de Ciências da Saúde Sul/ Egas Moniz
Técnica de Reabilitação Cardíaca – Instituto de Ciências da Saúde Sul/ Instituto do Coração
Instrutora de Pilates – Pilates Institute
Parceira dos Laboratórios L. Racine – Laboratório Biomédico

Pilates
O Método de Pilates, ou Contrologia, como chamava o seu fundador Joseph Pilates (1880-1967), consistia: “ciência e arte do desenvolvimento
coordenado da mente, do corpo e do espírito através de movimentos naturais sob o estreito controlo da vontade”.

Esta definição aproxima-nos à conceção de prática global com a qual nasce o Método Pilates e que continua até hoje em dia.
Com efeito, o método Pilates propõe outra forma de trabalhar «a força corporal e a resistência, diferente às actividades físicas que centralizam os seus esforços na repetição pontual de cargas, como forma de educar o corpo e a mente.
Na sua concepção intervêm técnicas procedentes de muitas práticas diversas, tais como o yoga, o fitness, o ballet, a ginástica correctiva, a fisioterapia, etc. Por isso é uma prática global e integral que submete todos os movimentos do corpo à supervisão da mente.
A prática do método Pilates segue seis princípios básicos:
– Centralização: fortalecimento do centro de poder ou centro de energia é o factor básico. A zona abdominal e lombar habilita o corpo a mover-se livre e equilibradamente, suprimindo os movimentos prejudiciais. Todos os movimentos do corpo têm o seu início e sustêm-se desde o centro, elemento-chave fundamental de um corpo equilibrado.
– Concentração: habilidade para manter a atenção em cada movimento que fazemos. É fundamental concentrar-se nos músculos que movemos em cada exercício.
– Controlo mental: a mente como elemento indivisível do corpo. É o princípio de todos os movimentos e a vontade de executá-los.
– Precisão: movimentos lentos, conscientes e coordenados. A precisão é uma consequência do controlo mental e da concentração. De facto, cada movimento deve fazer-se de forma correcta e mais vale menor quantidade de movimentos do que a execução massiva e descontrolada dos mesmos.
– Fluidez de movimento: toda a energia deve fluir; a mente e o corpo devem funcionar em perfeita harmonia, sem interrupções nem movimentos bruscos.
– Respiração: todos os movimentos deverão estar coordenados com a respiração pelo que ela cumpre um papel muito importante na prática do método Pilates. Esta tem a sua origem nos músculos do centro de poder pelo que se conclui que tudo é uma globalidade, que tudo há-de fluir.
Os resultados de uma prática eficaz são muito significativos: maior capacidade pulmonar e melhor circulação sanguínea são os primeiros fins conseguidos, os quais depois se traduzem em força, flexibilidade, coordenação mental e boa postura. Estes princípios perseguem um fim último: a completa harmonia de corpo e mente, a fusão total. Por isso o método Pilates nutre-se das tradições orientais e ocidentais à hora de enfrentar a busca da ansiada harmonia.
Dessa forma as tradições orientais põem a sua ênfase na plenitude do indivíduo, a calma, a flexibilidade e os alongamentos enquanto as tradições ocidentais colocam especial incidência no movimento, a tonicidade muscular, a força e a resistência. Joseph Pilates, mediante a criação de mais de 500 exercícios, soube juntar o melhor das duas tradições e até hoje chegaram-nos os seus ensinamentos.

Back To Top